Tags

Tem dias que acordo diferente! Assim, experimento um sabor, um perfume, uma música ou seja o que for que me toma por completo e me lança em uma outra atmosfera… de êxtase! Hoje vivi um desses dias e, mesmo na simplicidade do cotidiano, sem que alguém soubesse o que se passava comigo, a música de Villa-Lobos não me saiu da cabeça nem do coração. Envolveu-me!

Um híbrido de tristeza e alegria. Sorrateiras lágrimas… A vida fica mais bonita e mais cheia de vida!

Compartilho com vocês um pouco desse sentimento, através da “Bachiana Brasileira nº 5”, de Heitor Villa-Lobos, executada pelo violoncelista espanhol Antonio Martín Acevedo e a violonista argentina Marisa Gómez, no Convento de Santa Clara (s. XIII), Astudillo (Palencia), Espanha.

Essa belíssima Ária, “Cantilena”, foi cantada brilhantemente por Balduína de Oliveira Sayão, mais conhecida como Bidu Sayão:

Podemos ouví-la na voz da cantora norte-americana Joan Chandos Baez, sob a regência de Maurice Abravanel:

E na esplêndida voz da cantora neozelandesa Kiri Te Kanawa:

Villa-Lobos deixa-me em êxtase!

Anúncios